sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Um resumo da minha vida na escola, bullying e porque meu ex-namorado (FOI) tão importante

Bem... eu Não gosto de falar sobre isso, mas é bom compartilhar experiencia, vai que alguém está na mesma merda...
Venha, vamos compartilhar as nossas merdas e deixar que o fedor ocupe esse lugar vazio e imundo (não plagiem essa frase hehehehe)






... Vou começar de onde eu vim
Bem...
Da família do meu pai: A minha avó materna é dessedente de europeus com árabes, meu avô é nordestino, não sei o porquê a família da minha avó veio para o Brasil... Meu avô saiu do Nordeste para tentar uma vida mais fácil (em umas regiões do Nordeste a pobreza é muito difícil, e tem a seca né...), meu avô veio para a região de Marilia e ficou em Tupã trabalhando em fazenda... Não na própria fazendo, mas ele cuidava da fazenda de um fazendeiro
Meu pai cresceu no mato, meu avô continuou pobre por muito tempo, meu pai não teve brinquedos e passava o tempo trabalhando e estudando
Quando meu pai cresceu ele entrou na polícia e acabou indo para São Paulo
Minha mãe: Minha mãe nasceu na divisa da Bahia com Minas Gerais, ela é descendente direto de negros e índios, também muito pobre, ela teve uma infância e adolescência muito difícil, ela foi muito negligenciada... Ela foi de casa em casa por um tempo até que parou em Ourinhos
Meu pai se casou com uma outra mulher primeiramente e teve 2 filhos, mas ele se divorciou, ele então pegou a família toda (inclusive essa mulher) e levou para Ourinhos, onde ele comprou e reformou uma casa para ela e os filhos viverem, então ele conheceu a minha mãe... E eles tiveram um filho. (Sim, eu tenho muitos irmãos, eu tenho 4 irmãos)
Meu pai com o trabalho conseguiu construir uma casa também para os meus avós em Pompeia, eu nasci um tempo depois do primeiro filho (em Ourinhos), eu quase morri no nascimento, tem fotos minha de quando eu era recém nascida aonde a minha pele era rocha, eu tive sopro no coração e uns problemas causados pelo meu nascimento... Não foi prematuro, eu nasci com mais de 10 meses... E eles decidiram vir para Pompéia comigo e meu irmão (no dia seguinte que eu nasci)
Meu pai com o trabalho que não acabava mais conseguiu construir uma terceira casa (então a que nós iriamos viver) em Pompéia
Eu tive a minha infância em Pompeia e foi boa
Pais pobres fazem de tudo para dar para os filhos o que não tiveram e sem querer acabam mimando eles, meu pai trabalhava horas direto para conseguir dar coisas boas para nós (ele não tinha brinquedos), e minha mãe era muito protetora e excessivamente carinhosa (ela não teve atenção na infância)
Então eu fui uma criança mimada, o que não foi uma coisa boa para mim
A minha infância foi ótima, como eu disse, eu tive tudo que precisava, eu cheguei a ter um brinquedo que estava na moda, foi a tal da boneca do gugu (que foi roubado em menos de um mês em um assalto... Na qual uma bala passou perto da minha cabeça)

A coisa começou a mudar na primeira mudança, nós fomos morar em uma cidade ao lado porque meu pai foi transferido de cidade e ganhou uma promoção, foi ai que as coisas ficaram difíceis para mim

Quando as coisas mudaram
Eu acho que era a 4 serie aqui (não sou boa em datas)
Eu cheguei em uma escola  aonde todo mundo era mais... Digamos que "cabeça feita", as meninas já usavam maquiagem e falavam de namorados, e os meninos já eram agressivos, eu com toda a minha aura de menina inocente não consegui me encaixar, eu tentava fazer amigos, mas as pessoas me olhavam como se eu fosse um tipo de ET... Ao invés de insistir em me encaixar eu aceitei e fiquei de lado, eu tinha uns colegas mas não amigos na escola, eu ficava em um canto esperando o tempo passar enquanto observava as outras crianças brincarem
Eu só brincava com as meninas fora da escola, quando elas viam me procurar em casa, mas dentro parecia que ninguém queria ficar perto de mim, e eu aceitava (eu lembro que eu ficava meio triste com isso)
A 6 serie é em uma escola separada, e a escola dessa cidade que tem a 6 serie tinha fama de ser muito violenta (não sei se as coisas mudaram), e os alunos violentos não eram aprovados acabando ficando lá por anos enchendo o saco dos novatos, a polícia ficava uns poucos quilômetros dali (é uma cidade pequena até hoje), mas mesmo assim aparecia historias bizarras como a de uma garota que quis matar a outra com um garfo (não matou, mas furou inteira)
Então meus pais me jogaram na escola de Pompeia (voltamos aqui), na qual na época tinha uma boa reputação... Errr...

Um novo mundo
A 6 até a 7 serie
Aqui foi a época de ouro minha em relação aos estudos, eu já tinha desistido de fazer amigos, e eu era uma adolescente muito feia, eu não me cuidava e a escola para mim era apenas para estudar
O pessoal mexia muito comigo, mas era de longe, eu não ligava, as vezes eu ficava muito brava e chorava (criança mimada, lembra?), mas nada de grave
Piadinha e apelidos todo mundo tem, é normal as pessoas te considerarem diferente, irrita, mas é normal, então não tem como morrer por causa disso
Eu tinha só uma amiga na época, que era mais amiga dos outros do que minha, mas era a única pessoa que eu parava para conversar
Eu nunca tive amigas indo em casa nessa época ou fazer coisas que as outras adolescentes fazem com os amigos, isso me chateia porque é importante essa parte na vida de um menina, e você não vai ter mais chance de viver a pré-adolescência e a adolescência de novo, eu queria ter feito isso, mas... Eu sentia que era muito difícil até dar um “oi”
Minha média de notas na época era 9, eu virei uma aluna exemplar, meu pai começou a me dar muita atenção e me mostrar para os outros como se eu fosse um tipo de troféu, e isso me manteve longe de curtir a minha adolescência e me focar nos estudos, eu achava muita pressão essa coisa de ser u “troféu”, mas ele ficava feliz e me dava apoio... Até que...

Quando as coisas mudam de novo
A 8 serie
Acontece que uma antiga diretora tinha voltado a comandar a escola, e a escola estava tendo a reputação manchada, daí ela teve uma ideia muito genial que ferrou com a minha vida e a de muita gente
Ela então separou os alunos em diferentes salas e os misturou, ela queria por alunos mal e alunos bons em números iguais, então ela me tirou da minha sala aonde eu tinha me acostumado a viver lá e me colocou na pior sala da escola
Eu demorei muito, mas naquela outra sala eu finalmente conheci todo mundo, e as pessoas me davam espaço para ter meu estilo de vida
Sim, a sala que eu estava indo era a pior sala entre as 8 series e uma das piores da escola... Essa diretora é ridícula, eu peguei raiva dela
Todo mundo sentiu a merda que ela fez e começaram a mudar de novo de salas e irem para a salas antigas, só que eu aceitei inicialmente e fiquei lá, passou um mês a coisa ficou feia para mim
Os piores moleques da sala começaram a pegar no meu pé com piadinhas sem graça inicialmente e isso começou a me incomodar porque aquilo era frequente, eles não paravam até porque eles não estudavam, tudo que eles faziam dentro da sala era reclamar da vida e encher meu saco
Foi quando eu percebi que deveria sair dali e fui reclamar para tentar... E eu ouvi isso:
"tarde demais, agora não é possível" da boca da maldita diretora
Aquilo foi um ultimato que eu iria sofrer e muito ali, e eu comecei a odiar aquela mulher
As piadas começaram a ficar agressivas, rolaram tapas na minha cabeça, grudaram chiclete no meu cabelo, meus materiais de estudo sumiam ou era violados, eu ouvia muita ofensas e apelidos ridículos, e eles não paravam, eles sentavam em minha volta e faziam pressão até que eu chorasse
Chorar era o que eles queriam ver, faziam isso até que acontecesse e ficavam satisfeito então
Eu fui falar com o meu pai, meu pai, policial estressado e sistemático me disse para eu resolver isso, ele disse para eu brigar com os caras porque eu era forte
Eu me sentia pequena ali, eu sentia que não tinha chance contra eles, eram meninos altos e drogados sem alma, eles foram reprovados e eram bem mais velhos que eu, como eu iria brigar com eles, o perigo era grande... Não sei o que poderia acontecer, quando você vê um drogado, você passa para o outro lado da rua e não vão arrumar confusão
Tudo pirou quando eles atacaram a minha vida pessoal, começaram a espalhar boatos sobre mim e usar a garotas populares da sala para isso, daí ninguém queria ficar perto de mim (porque você sabe como as meninas são)...
Eu ia lá todo dia na diretoria pedir ajuda, era a diretora que vinha me atender, eu tinha que esperar ela chegar na escola (TINHA ISSO TAMBEM), esperar ela dá a voltinha dela pela escola... Ai ela em olhava na cara e fazia uma cara de “essa garota de novo?”, ai eu contava o que estava havendo toda desesperada... Ai ela dizia “volta para sala, você pode lidar com isso”
O porque eu? Eu sou tímida, e não tinha interesse pelo social (eu perdi, né), então você tem uma menina sozinha, eu fui mimada e nunca exposta, então você tem uma menina sem experiência com nada, eu ainda era uma criança inocente na época, todo mundo sabia o que era sexo e maconha, mas eu não... Saber o que era, sim eu sabia, mas a maioria já tinha experimentado e eu não
Eu passei por isso por muito tempo, então parei de estudar e comecei a matar aula para evitar de lidar com aquelas pessoas, minhas notas caíram muito... Eu ficava no lado de fora observando a paisagem, estudando, ouvindo musicas ou escrevendo coisas (eu aprendi a gostar de escrever assim)
Foi quando eu perdi o pouco apoio que eu tinha do meu pai, além de sistemático ele era perfeccionista, ele queria que eu fosse “lutadora como ele”, então ele começou a me julgar e me jogar de lado como se eu tivesse perdido o valor... Eu já não era um troféu ou algo que ele poderia se orgulhar (ele me disse isso)... Isso foi difícil, era difícil eu ouvir ele dizer que eu havia falhado quando eu sentia que não tinha outra alternativa ao não ser cair...

...
Um demônio como um anjo
Então meu ex-namorado apareceu, ele era um quase homem que foi reprovado em uma escola e não sei porque foi parar na minha escola, eu me lembro da primeira vez que eu vi ele, ele estava com um boné vermelho encarando o nada, eu conseguia ver a cor dos olhos dele de longe, eu ter chegado perto dele não foi fácil, mas isso fez com que as pessoas que me maltratavam pararem de me fazer mal, ele era uma figura nova na escola, um cara muito alto com cara de mal, as pessoas tinham medo dele, e a paz começou a vir
Fui muito difícil virar a namorada dele, eu tive que fazer muitas coisas para conseguir fazer ele olhar para mim, mas quanto mais eu estava perto dele tinha paz... Quando nós oficializamos como um casou, os caras que me maltratavam ficaram com medo dele e foram para longe, foi quando eu tive paz, foi quando o bullying

Errrr... Esqueci algo... A anaymia
Um pouco antes dele chegar eu estava bem deprimida, foi na época que eu entrei para a anaymia e busquei amor e compaixão virtual... Oh, eu pulei isso? Desculpa, mas a história com bullying me tremeu aqui...
Mas como eu não conseguia fazer amigos na vida real eu procurei amigos no mundo virtual, foi quando eu conheci as anas, eu emagreci muito na época, uns 12 quilos em 1 mês e meio... Mas as meninas no mundo virtual foram as amigas que eu não tive no mundo real, muitas delas sumiram, se casaram e estão por ai... Mas me foram uteis e eu as amo... Por isso que eu não consigo deixar esse mundo

...
O cara da minha vida
Ele me fez afastar da anaymia, o que foi besteira, mas eu me sentia bem perto dele, eu criei um tipo de dependência dele, eu me sentia segura nos braços dele, coisa que ninguém, nem mesmo da minha família me passava isso, segurança, ele não me tratava mal e isso era bom...
Eu me lembro do calor do corpo dele, e o cheiro dele... Eu ficava abraçado com ele nos intervalos, era como se o resto das pessoas sumisse...
Mas... Acontece que ele só afastou os meninos, mas não meninas má
Elas começaram a espalhar boatos, e eu acreditei em todos, e eu ia descontar nele toda a frustação
Na época um monte de gente apareceu querendo fazer amizade, mas na verdade estavam ali por causa dele, queriam destruir o que eu tinha com ele, porque a vida daquelas malditas era uma merda... E eu segui isso porque eu nunca tive amigas e aquilo parecia real... No começo de 2013 eu perdi ele, e a última vez que eu falei com ele foi em 2014, mas eu vi ele este ano com outra menina, e essa foi a última vez que ei vi ele...

Os dias atuais ainda tem escuridão
Você sai da escola, mas a escola não sai de você, quando você sofre bulliyng a sua cabeça e coração ficam quebrados, por uma época tudo me machucava, se alguém ria perto de mim meu coração disparava e eu achava que estavam rindo de mim, eu não conseguia me achar bonita em nenhum dia, eu chorava por qualquer coisa, se gritassem comigo eu vinha a lagrimas independente do motivo, eu me assustava facilmente e eu não sentia motivos para sair da cama... É difícil... E demora para as feridas cicatrizarem, e a cicatriz fica na pele a vida toda, ainda dói falar disso, ainda choro quando lembro dos meninos gritando nomes feios para mim, foi anos atrás, mas eu estou chorando agora
Porque isso faz parte da minha vida, tudo que marca faz parte, não tem como apagar nada, isso faz parte de quem eu sou agora e se quem eu vou ser amanhã, eu nunca vou esquecer nada, não tem como
Eu sempre vou ter raiva e pena de quem me maltratou, eu seu que na realidade são pessoas infelizes ali, que precisavam botar o ódio para fora ou melhor em alguém, mas não justificava essa pessoa ser eu
Um dos garotos que me maltratava sofria bulliyng dos próprios amigos, quando os amigos dele o jogavam no chão (literalmente) ele vinha em linha reta até mim e descontar a raiva em mim
Por isso que raiva é um sentimento tão seco e irracional, leva você a fazer coisas ruim... Eu sei que no fundo eles eram boas pessoas, talvez... Quem sabe... Todos temos um pouco de bondade lá guardado em algum lugar, talvez doía a ele me fazer isso... Quem sabe?

Mas o que mais me dói e saber que eu descontei a minha raiva e a ignorância no meu ex-namorado, e a raiva de ele nunca tentar entender a minha dor, nunca tentar entender que eu estava confusa na época, ao mesmo tempo que eu quero abraça-lo forte e procurar perdão, eu também quero empurrá-lo para longe e não vê-lo mais
...

Mas sabe, eu estou aqui, em pé, depois de tudo, eu sei que a muito tempo as vozes chamam e avisam que está na hora de começar o próximo livro, uma nova história
Está na hora de eu colocar meus monstros para debaixo da terra e usar como adubo de um novo começo
Mas eu ainda olho para traz como se algo estivesse faltando, como se eu não pudesse fazer isso só, eu sinto que é meu ex-namorado, a pessoa que me deu paz no momento de guerra, mas eu sei que ele não vai estar aqui no momento que eu fizer, eu vou ter que fazer sozinha... Sozinha, o melhor jeito de enfrentar os próprios monstros...




(Edit: Já superei essa coisa do meu ex-namorado, ele foi alguém importante, mas agora ele é ninguém para mim)

20 comentários:

  1. Tudo isso passou, isso sim é bom, agora é só encontra um lugar com pessoas iguais a você...

    Conhece pessoas novas e cara a cara, para mim é mais difícil, eu sempre me saboto, não sei como, mas isso acontece.

    Aquela sensação de está sendo olhado por todos, mesmo que isso não seja verdade, o que não é realmente, cada um se preocupa com seu nariz.

    Você foi muito forte, eu teria pirado e matado, meu pai, eu acho que é aparecido com o seu, ele também achava que eu era mais forte do que a realidade, querendo que eu brigasse se necessário, parece que não entende que podemos nos machuca sério, eu não luto, nem vou para academia, não sei nada de artes márcias, ia fica no chão em posição fetal cobrindo a cabeça.

    As vezes algumas pessoas nos incomodam por acha que é antipatia, como se sentisse melhor do que eles, mesmo que não seja verdade, infelizmente algumas pessoas só são idiotas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas pessoas confundem timidez com antipatia e te tratam mal por isso, isso é ruim

      Excluir
  2. Sério, sua história é muito triste, muito mesmo,eu não sei nem o que comentar porque mesmo você expressando sua dor de uma forma tão boa(você tem talento pra escrever) eu jamais conseguiria de fato imaginar,nunca tive experiência com o bullying. Mas enfim,sinto muito que você teve de passar por tudo isso,mas passado é passado,não é pra esquecer o que aconteceu, mas pondo pedras em assuntos passados e não deixando essas coisas te atormentarem na sua vida atual sofrimentos passam e o amadurecimento chega,é tudo uma questão de tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A psicologa falou isso para mim, a unica pessoa que permite ser destruída pelo passado é si mesmo, os sentimentos só doem porque eu permito...

      Excluir
  3. Oi Cecy, acompanho seu blog fazem uns dois meses e essa é a primeira vez que comento algo aqui. Descobri ele quando li uma postagem sua falando do sumiço da felice fawn, e a partir daí fui lendo outras postagens, aliás, foi graças a você que descobri toda a história dela, o passado e as fotos ultra photoshopadas. E desde então tenho entrado toda semana para ver as coisas novas. Seu blog é muito divertido, adoro os posts sobre cirurgia plástica e human dolls! auhueauhue
    Eu poderia falar mais, mas não quero prolongar meu comentário em um textão porque depois vai ficar chato pra ti ler, então vou direto ao ponto, que é o que quero dizer sobre esse seu desabafo. Me identifiquei bastante com a sua história, o trecho que contou sobre bullying na escola e as "feridas" que ficaram e que ainda deixam cicatrizes... minha época de colégio foi terrível, as crianças sempre implicaram comigo, uns monstros... o motivo? Na época eu não entendia, hoje acredito que zoavam porque eu era quieta, extremamente tímida (eu não conseguia nem olhar direito nos olhos das outras crianças de vergonha), não tinha namoradinho no colégio e era bv. Não tinha amiga no colégio, se tinha, era do tipo "eu vejo ela como amiga, mas ela não", então eu fui ficando sozinha no meu canto, o recreio eu passava na biblioteca ou em um banco longe das pessoas, fui passando a ficar sempre sozinha, naquela de "antes só que mal acompanhada". Nessa época eu fiz amizades virtuais, minhas unicas amizades/verdadeiras amizades até então. Foi em um site fã page brasileiro de uma banda que eu gostava muito, e que eu passava boa parte do meu dia me atualizando das notícias. Isso tudo foi mais no ensino fundamental, mas no ensino médio ainda teve um pouco disso, meninas que implicavam comigo (eu nunca falava com elas, não provocava, não fazia absolutamente nada, só ficava na minha) zoavam de tudo, até cabelo e coisas no meu corpo, pra fazer passar ridículo. É claro que minha autoestima foi pro chão, eu me sentia um lixo, e nem sabia o que fazer pra elas pararem, eu sentia nojo delas, mas minha mãe não dizia o que seu pai dizia, de ir lá e bater neles, dizia para ignorar elas e mostrar que eu não ligava. Mudei de cidade, mudei de colégio, e então foi só no final do ensino medio que vim a conhecer pessoas bacanas, com gostos parecidos com os meus, sem preconceitos. Ainda tenho um pouco de timidez, claro, muito menor, e uma auto estima razoavelmente boa, apesar de me sentir inferior algumas vezes quando vou a um local com muitas pessoas por causa da zoação da época do colégio (mas eu estou tentando aumentar minha auto confiança dia após dia). Os amigos virtuais, alguns perdi contato depois dos anos terem se passado, outros mantenho até hoje. :D

    Você é forte por ter aguentado tudo isso, e forte também por ter compartilhado sua história com quem acessa seu blog. Foi por ter me identificado que resolvi contar um pouquinho do meu passado também. Tudo de bom para você, e que tudo tenha servido para fortalecer. Err... e ah, repetindo, adoro seu blog!  

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo quando pessoas compartilham suas historias comigo, eu estou aqui para isso, para compartilhar coisas, dar e receber experiencias, é a coisa mais gostosa da internet

      Timidez é um prato cheio para os agressores, nós não somos apáticos ou anti-sociais, apenas não conseguimos demostrar que os nossos corações estão abertos, a timidez dificulta isso
      Mas esses bullens sabem disso e usam isso contra a gente, e o que nós conseguimos fazer?

      Na internet é fácil fazer amigo, porque os sites dividem as pessoas que querem tal coisa, tem lugares que ninguém olha para tua foto do perfil, mas vai direto para o seu texto ler o que você quer escrever

      Os pais nunca entende o que não passamos, eles vieram de uma era mais simples aonde as soluções eram mais simples, as escolas de hoje em dia tem sub-sociedades que excluem uns aos outros ou maltratam os pequenos, nossos pais não sabem o que é isso
      Na época deles o bullen mal existia, existia implicância ou apelidos, mas não uma grande agressão, o bullying é um mal da modernidade

      Mesmo que a escola acabe as coisas continuam incomodando e é aos poucos que vamos recuperando forças antigas e ganhando novas forças

      Obrigada por compartilhar a sua historia :)

      Excluir
  4. Você sofreu muito Cecy, e olha só a moça bonita que você se tornou, inteligente e forte. Senti por suas palavras que ainda à amor em relação ao seu ex. Espero que um dia você tenha a oportunidade de acertar-se com ele.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho certeza de algumas coisas, e uma delas é que le não volta mais, eu conheço ele, ele costuma descartar coisas que já não fazem parte do interesse dele, e ele não volta atrás, isso é uma das coisas que eu sei que não posso mais concertar, tenho que conviver com isso...
      aaaaaaaaaaaaaaaah :'( meu caminhão tombou de novo aqui...

      Excluir
  5. Já tem uns dois ou três meses que comecei a ler seu blog, e olha, eu gosto de conhecer pessoas como você. Pessoas com mente aberta mas que também tem bom senso, é isso que eu vejo em você e essa é a descrição mais perfeita que eu já consegui criar de você até agora.
    Você é o tipo de pessoa que eu acho por ai e penso ''nossa, eu queria saber expor minhas opiniões dessa forma, eu queria ser forte dessa forma''. E nunca pensei que nós poderiamos ter um passado meio parecido.
    Meus pais são separados desde sempre,vivi até os 9 anos com a minha avó materna porque minha mãe não tinha muito saco pra cuidar de mim e meu pai muito menos. Minha mãe sonhava em fazer faculdade e ser professora, porém aos 17 anos eu aconteci e você já pode pensar no resto. Depois meu pai resolveu que iria ~cuidar~ de mim, mas na verdade ele morava com a minha avó e os irmãos, e quem mais cuidou de mim? Minha tia e minha avó. Na verdade a minha tia quem foi o meu verdadeiro pai, desde criança quando eu ia passar as férias com minha avó paterna, era ela quem ficava comigo no hospital quando eu adoecia, e meu pai vivia na putaria, nem queria saber de mim.
    E sabe aquelas crianças estranhas e mudinhas que só ficam no canto delas? Sou eu. Só na pré escola eu cheguei a trocar de escola mais de três vezes.
    E nessa época ai minha mãe ainda me aparece com uma irmãzinha. Felizmente eu não tive ciúmes dela, mas quando minha mãe começou a frequentar mais a casa da minha avó materna eu comecei a pensar que poderia passar mais tempo com a minha mãe e recuperar o tempo perdida. Doce ilusão, ela tinha que cuidar da neném e aguentar o meu padrasto que foi uma merda de homem na época.
    Eu vi meu padrasto traindo minha mãe por muito tempo, e meu pai fazendo o mesmo com as namoradas dele e por causa disso eu decidi que não iria me casar nunca.
    As coisas só pioraram com o tempo, meu pai engravidou uma mulher que hoje mora em São Paulo. Uns anos depois veio minha madrasta e ela engravidou de gêmeas. Uma delas nasceu muito doente e com isso a ficha do meu pai caiu e percebeu que era pai e que eu existia, o que foi bem foda, meu pai não é lá o pai que você queria ter. Ele foi me tirando as coisas que eu gostava aos poucos ou porque não era de Deus ou porque não era de menina, eu era quase que um muleque nessa época. Eu já não tinha muitos amigos e minha timidez não ajudava, agora meu pai começava a me tirar tudo.
    Eu fui caindo na depressão aos pouquinhos e quando notaram eu já tava na fossa. Pra completar a coisa toda, meus parentes são o tipo de pessoa que veem depressão como besteira. Meu rendimento na escola caiu, eu era uma ótima aluna, tenho emblemas de destaque do ano e tudo mais, mas com isso me transformei em uma das piores da sala.
    E mais um problema, eu comecei a gostar de uma menina e ela de mim, e começamos a namorar, por que não ne? Meu pai descobriu, e com isso veio uma surra e mais proibições e a primeira tentativa de suicídio também.
    Não deu certo e meus parentes perceberam que tinha algo de errado, eu fui parar no hospital com uma overdose por tarja preta.
    Então eles perceberam que eu precisava de ajuda, ai começaram os tratamentos e e descobriram meu transtorno de ansiedade, terminei meu namoro com a outra garota, eu era muito imatura e não sabia bem como administrar a coisa toda, muito menos ela e não estava dando certo então abandonamos o barco.
    De lá pra cá eu tenho erguido minha cabeça aos poucos, adquirindo um pouquinho de autoestima aqui e ali e autoconfiança também.
    Hoje eu namoro um cara que mora há umas 10 horas de viagem de daqui, nos vemos uma vez por mês e tentamos fazer nosso namoro andar.
    Isso ai é só um resumão de uma garota de 18 anos que tem o sonho de ser uma bióloga e um dia poder usar o que eu gosto de usar e ter as coisas que eu gosto de ter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela clássica hipocrisia
      Todo mundo da sua família estava fodendo loucamente, pecando (na visão da religião deles), espalhando crianças no mundo, sendo irresponsável e errando como nunca
      Quando você decidiu dar seus primeiros passos sozinha (já que ninguém estava de dando apoio), todo mundo lembrou das regras sociais de repente e foram correndo meter a cruz na sua cabeça e te julgar

      Isso é uma coisa que tristemente é comum, as pessoas fazem muita putaria e só vão lembrar das suas regras na hora que a outra pessoa erra
      O duro quando isso vem das pessoas da nossa família, eles deveriam ser as primeiras pessoas a tentar entender suas escolhas e quem você é, mas são as ultimas
      Mas, bem mais para frente aos poucos eles vão se dando conta das coisas que aconteceram e vão se arrepender de tudo que perderam e dos momentos que desperdiçaram
      A sua época de descobrimento é unica, pais de verdade acompanham sem fazer um julgamento ruim, apenas aconselhando e mantendo as crianças longe do caminho ruim
      Pode ter certeza que quando você crescer e estiver pronta para bater suas asas seus pais vão lembar do dia que você ainda não sabia voar e que agora é tarde

      A vida é complicada e aleatória, tem gente coo nós que somos premiados com meio milhão de merdas

      Eu tenho uma raiva de mulheres e homens que colocam crianças no mundo e as abandonam, isso é algo inaceitável

      Excluir
  6. Eu sinto muito pelo que você sofreu em referência ao bullying, sei que não é fácil, mas épocas de escolas é muito difícil mesmo quase ninguém nessa época gosta de estudar, eu também sofri muito na escola com essas coisas, e realmente é um pesadelo, você perde a vontade de viver e se pergunta o tempo todo porque nasceu como nasceu, mas aí que está pessoas que praticam bullying geralmente não tem uma vida feliz, não são felizes, e muitas vezes só descontam a raiva e frustrações nos outros, é uma espécie de efeito dominó, vamos supor eu agrido você você agride outra pessoa e assim vai... sabe? no fim ninguém fica melhor que ninguém pois tudo somatiza,.
    Estou torcendo pra você se dar bem e sambar na cara dessa gente que te rejeitou, torço pra você encontrar outro rapaz que te faça feliz, eu sei como é a dor da rejeição o sofrimento interno, isso sempre acontece com pessoas boas, eu também ficava com dó de outras pessoas que sofriam bullying na minha frente, mas enfim a vida segue e temos que fazer os dias serem melhores que os anteriores.

    Sucesso linda, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duro são crianças que passam por isso muito cedo, cedo demais para perceber isso e ficam cegas de tristeza
      Algumas pessoas tem a habilidade de nos fazer acreditar que a vida é trágica

      Mas ainda estamos aqui, não é mesmo? E ainda vivendo

      ...
      E pelo estilo de vida das pessoas que me maltratavam... Não vai dar tempo de eu formar ma escola de samba e ir lá dar meu show... Vou acabar que me contentar a tomar vinho no tumulo deles...

      Excluir
    2. KKKKK adoro seu humor ácido rsrs

      Excluir
  7. Ceci....
    Eu nunca deixei ninguém tirar uma com a minha cara. Fui criada no seguinte ditado " olho por olho, dente por dente". Minha família tem um histórico de ser de boa, desde que não mexa com ninguém da nossa família. E somos em 43 pessoas. Não sofri bullen, porque o meu lema era, mexeu comigo e eu bato mesmo. ( huhu Y.Y )

    Mas olha só, você passou por tudo isso. Você sobreviveu, teve algumas dores sim. Infelizmente. Porém é uma moça muito bonita, eu já até falei isso. Se expressa muito bem, eu já li varios posts seus pra minha mamusca. Hhehehe :)
    Não deixa essas coisas te ferirem mais. Vou dizer como meu avó diz " Desce o cacete em quem querer fazer alguma coisa contra você." hehe, esse meu Avô.

    Eu tenho certeza que você vai conhecer um cara, bacana. Divertido, que goste do seu jeito. Porque não existe essa coisa de relacionamento perfeito. Existe amor. E quando á amor, tudo suporta, tudo crê.

    Muita força Ceci, tu já mora bem aqui ó <3 ( é coração táaaaah )

    Minha venenosa, zóiuda linda :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 43 pessoas? Todo mundo unido? É fácil também né hehehhehe
      Minha família é toda quebrada na parte de pai, ninguém se dá bem, porque o pessoal é egoísta e ganancioso

      hehehehe
      Obrigada ♥♥♥ Obrigada mesmo ♥♥♥
      (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

      Excluir
    2. Unidos mais ou menos, mais ou menos...............
      Por ser grande acaba tendo muito conflito, mas no geral todos se dão bem. Eu sempre digo, que tem seu lado bom, e seu lado ruim....
      Sempre tem laranja podre no meio, dizem que as melhores famílias são assim kkkkk

      Diva do Veneno ♥

      Excluir
  8. quando eu li sua história eu senti a aflição e o pavor que você teve que viver, é uma merda mesmo, toda essa coisa de fazer amigos, a pressão, o fato de vc nao se sentir importante, e pra variar o bullying, pq as pessoas tem que ser tão cretinas? eu me revolto mesmo, não faz sentido na minha cabeça, fiquei mais triste por saber que seu pai invés de te apoiar falou pra vc brigar com os caras, isso não tá certo, é um absurdo, e essa diretora ? tipo, se vc não faz o minimo da sua função na escola, vai fazer outra coisa da vida minha querida, deixa alguém que realmente quer trabalhar e ajudar os alunos. Eu acho q vc não deve se remoer da suas ações com seu ex, vc era uma adolescente, e como todo adolescente faz algumas besteiras, normal sabe. Agora segue em frente, viva como nunca,faça coisas boas por vc, e foda-se os outros, tente não olhar mt para o passado, sei que faz parte da sua vida e as memórias não irão embora mas lembre-se que vc tem mt tempo ainda pra fzr a diferença e pisar na cara desses fdp, e não carregue ódio, pense que vc passou por isso pra mostrar ao mundo e a si mesma que vc é uma guerreira e melhor do q eles <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é uma verdade, passado só te pega se você deixa
      Todo mundo tem aquele romance de escola que na maioria das vezes não dura, e eu não fui exceção

      Eu só preciso de uma dose de realidade e reanimar as minhas forças

      Obrigada :) ♥

      Excluir
  9. Olha, parabéns por dar a cara pra por tanta coisa aqui. Tem coisa pra mim que é difícil dizer até pra minha psicóloga...
    Certas partes do seu passado se parecem muito com as minhas, como a parte do bullying e "não ter outra alternativa ao não ser cair."
    Lógico que somos diferentes, tem coisa que eu não passei e só consigo ter a mínima noção, e se você soubesse de mim você também acharia coisas que passei muito diferentes, mas o que nós duas já sabemos é que a vida tem dessas e não é fácil.
    Eu espero que as coisas estejam diferentes pra você agora, e que você possa dizer que os dias atuais são melhores do que os que você passou. Eu não posso dizer isso agora, mas espero um dia poder...
    Marcas sempre vão ficar com você, então o melhor que você pode fazer é tentar tirar algum proveito disso, como aprender, amadurecer, formar opiniões, enfim.

    Essas coisas todas de uma forma ou de outra ajudaram você chegar até aqui, e o seu jeito de expôr suas opiniões aqui no blog, seus posts...são muito bons, mesmo que eu não concorde as vezes com você, você dialoga, explica o porque você pensa assim, e isso é muito importante. E é bom conseguir enxergar certos assuntos de outra maneira.

    Um passo de cada vez, e espero que pra você as coisas estejam (ou fiquem) boas pra você.

    ResponderExcluir

✵ Sou a favor da liberdade de expressão então se expresse como você quiser ✵

❤ Você pode discordar de mim, pode defender sua ideia, mesmo sendo contraria a minha, mas entenda que é meu blog, e eu vou defender minha ideia até o fim. Eu apenas vou recuar caso tenha percebido algum erro ou equivoco meu. Então essa é sua chance, seja claro e aberto. Todos são bem vindo... Menos pessoas sem emocional para lidar com opiniões diferentes e descem a xingamentos e ameaças ❤

☞ Mas evite ser desnecessariamente rude, pois eu respondo os comentários com o mesmo peso da sua, respeito é sempre bom, você pode discordar de mim, eu não sou dona da razão, mas você também não é. Lembre-se, o blog é meu ☜

♛ Evite por spans, se for para vir comentar que seja porque você tem interesse na postagem e não por auto-divulgação ♛

( ͡° ͜ʖ ͡°) Comentários sexualmente explícitos e vulgares são excluídos ʕ・ิɷ・ิʔ

✎ Existe uma opção de receber respostas pelo e-mail evitando ficar visitando meu blog para ver se obteve resposta (e evitar gerar números falsos), o nome é “notifique-me”, as respostas irão para o seu e-mail (para desabilitar ficar recebendo respostas, a opção está no e-mail)

⚛ Isso é um blog de opinião pessoal. Não é "site de noticia", não é propriedade de ong ou empresa comercial, logo não precisa ser imparcial ou seguir alguma regra de alguma empresa ou pessoa privada alheira. Eu sou apenas uma pessoa aleatória, sem importância social, que escreve nas horas vagas ⚛

"EU DISCORDO DO QUE VOCÊ DIZ, MAS DEFENDEREI ATÉ A MORTE O SEU DIREITO DE DIZÊ-LO" - Voltaire

Mais regras aqui

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...