sexta-feira, 26 de maio de 2017

Uma reação infantil: lembrando um post de 2013 (Fui expulsa da escola de balé)

Já viram esse post? (link)

Alguém me perguntou sobre isso, e eu reli, e senti uma baita de uma vergonha alheira, e decidi rescrever depois de anos, só para você ver o como as pessoas mudam
Então... 2012/2014 foi o ano de amadurecimento emocional para mim, antes disso o meu emocional tinha consistência de merda, essa foi a época pos-escola e pos-termino-de-namoro... Tipo... Eu me tinha me liberdade de demônios que por anos me oprimiram, e ao invés de me sentir livre, eu me sentia "para baixo"



As coisas estavam batendo na minha bunda, eu estava virando adulta e estava sentindo que toda a minha adolescência havia sido tirada de mim, e substituída por um inferno... Sabe, antes disso, naquela época do bullying, eu dizia a mim mesma que quando tudo isso acabasse eu iria vencer, estilo aqueles finais de filme clichês que a pessoa que sofreu o tempo todo virava alguém super bem resolvido, vencia na vida e dava uma lição de moral em si mesmo, e em quem o maltratou... Mas não foi isso o que aconteceu

Aconteceu que eu perdi tudo, tudinho, até mesmo meu ex-namorado, que foi meu único amigo, e que me deixou e me traiu... 
E ai eu tentei ali, ou aqui, alguma coisa para escapar a mente e mudar de vida, mas eu estava com a cabeça tão pesada, que esse pássaro não voa, virou um avestruz abestado...

Todos os anos de escola me deixaram um tanto infantil, bem... Eu já tinha parte do que tenho hoje, e que estou ainda construindo, pois me considero ainda um ser humano incompleto em diversos aspectos, tipo... Eu tenho senso critico, sei analisar as coisas, e tenho curiosidade... e tantanatan... Vocês conhecem essa parte de mim, eu tinha isso naquela época, mas naquela época eu não sabia lidar bem com as coisas como eu sei lidar hoje
Tipo... "Saber lidar" era um negocio que eu tinha que ter aprendido na adolescência, mas todos pisavam em mim, e eu fui fraca, então aprendi isso na marra na parte da minha juventude (essa época em questão), até ter uma cabeça parcialmente melhor, a que eu tenho hoje, na qual eu consigo muito bem lidar com certas situações chatas (só em amor que não, uma coisa que eu ainda estou aprendendo a lidar)


Mas enfim...
A historia em questão mostra o quão eu era naquela época, e o quão eu mudei e venho mudando, e que tipo de ser humano eu sou e o quão orgulhosa eu posso ser
...

Enfim...
Eu sempre gostei de balé, era meu sonho de consumo na infância, mas meus pais não tinham dinheiro, até que apareceu uma oportunidade de fazer de graça. Eu acabei fazendo um pequeno curso em um curto tempo na escola Oásis. A primeira parte foi super okey, eu adorava, as primeiras duas professoras e suas turmas eram adoráveis, eu adorava ir. Mas eu passei a faltar um pouco por causa de vários problemas em casa, na qual eu ficava puta e de saco cheio e preferia me dar o resto do dia de folga, sem falar que eu tinha uma responsabilidade de ficar basicamente o dia todo cuidando de um idoso doente de 70 anos.
As coisas por lá mudaram quando reformularam algumas coisas, novas turmas, e uma nova professora. A turma era terrível, era pre-adolescentes, que viviam de brincadeiras sem graça. Eu ficava incomodada, mas ignorava, até as provocações a mim, porque eu não queria atrapalhar a aula, deixava elas lá com aquele showzinho

Teve um tempo que eu senti uma vontade enorme de deixar de lado, e ir para outra sala, por que eu não ouvi esse pensamento? Eu poderia ter feito outro curso... Mas enfim
A professora, eu me lembro dela, ela era linda fisicamente e muito carismática, ela dava aulas de um jeito "bom", explicava as coisas de um modo "bom", dava para entender.... mas era uma pessoa completamente passiva, não sei se ela conseguia perceber, mas me lembro de que quando ela se virava as meninas faziam idiotices, até mesmo provocações contra ela

Uma belo dia ela decidiu dar uma aula livre, era basicamente ficar brincando e dançando musicas nada haver com balé, nem mesmo balé moderno, espalhou brinquedos na sala, e disse para as meninas brincarem. Eu pedi para ir embora, ela não permitiu. Eu lembro de olhar em volta e sentir fobia social enorme, eu estava muito tensa, ansiosa e nervosa, e decidi me encolher num canto e espera o tempo passar. Ela levou isso como um baita de um desaforo e me repreendeu, mas eu não conseguia mesmo ir até lá, eu simplesmente não conseguia. E isso me deu uma crise de raiva, eu peguei o celular e comecei a postar uma serie de coisas contra ela e a escola na internet.

Okey, isso foi estupido demais, eu cai na real dias depois, mas na hora eu nem vi, nem li o que eu estava escrevendo. Naquela época eu tinha uma mania enorme de buscar me expressar, isso aliviava muito a tensão, e fazia pensamentos ruins saírem da minha cabeça, eu precisava daquilo, basicamente... Isso era o blog a anos atrás, era esse episódios que eu precisava expressar raiva, indignação ou magoa... Eu precisava contar historias, minhas ou não, e sentir que alguém entendia esse meu ponto, ou o ponto de outra pessoa. Mas por ser em "certos momentos" e levando em conta o quão eu não estava bem, as coisas saiam mega exageradas.
Eu não levava meu Facebook a serio, e nem nada que eu postava, eu apenas fazia, sem pesar, e isso é mega estupido

Eu fui ler depois, realmente ler, e me arrependi, e por isso apaguei muitas das postagens do passado, porque quando eu fiz eu percebi o quão estupida eu era, me deixar levar por aquelas emoções ao invés de entende-las, e buscar melhoras
Eu sempre me fazia a vitima, porque me acostumei a ficar nesse papel, de o mundo em minha voltar me pisar, de coisas não boas acontecerem comigo, e eu apenas ter a chance de me lamentar
Se lamentar era meu único direito, que eu conseguia ver... Com certeza eu poderia ter tido outras escolhas, mas me faltou criatividade e persistência

E isso era muito errado, porque as vezes eu machucava certas pessoas...
A maior parte das postagens pessoais daquela época eram sobre mim, eu me lamentando da minha vida, mas havia outras que eu reclamava de pessoas que viveram comigo, de uma forma ruim, levada a raiva que crescia mil vezes por causa das emoções confusas em minha mente... E eu nunca parava para perguntar o como aquela pessoa poderia reagir ao ver aquilo, de eu expondo minha magoa sobre ela
Tipo... Eu não pensei em como a professora reagiu aqueles posts na época, não pensei se ela se magoou com o uso de "vadia", pois eu conhecia o termo, eu usava de uma forma diferente do que ela interpretou, mas o que ela sentiu naquele momento... Eu não pensei nisso... E isso foi pisar na bola
Eu não citei nomes, mas ela sabia que era ela...

A pior coisa que você pode fazer é se mover por emoções, ainda mais numa faze ruim, porque você faz coisas bobas, e as vezes magoa as pessoas. O problema de postar isso na internet é que isso fica gravado, uma parte de uma historia, a parte ruim, em uma luz ruim, fica lá. E as pessoas podem ver isso, e julgar como quiser, e nisso fazer você soar uma pessoa ruim.
Eu me conheço, estou me conhecendo melhor com o tempo, naquela época eu não me conhecia tão bem, mas eu sabia quem eu era, eu sabia que eu não era raivosa o tempo todo, que eu não era uma pessoa naturalmente anti-social (eu aprendi a ser assim), e que eu não tinha raiva dela. Eu não achava ela uma vadia, eu tentava valorizar a aula dela, e valorizava o fato de estar cursando algo raro de graça... E aquele momento de raiva fez tudo parecer que eu não dava valor e odiava ela
Ou que talvez acreditasse que eu sabia mais sobre dar aula do que ela, no momento que me posicionei contra uma ordem dela, contra algo que ela estava tentando ensinar, eu nem se quer tentei, apenas sentei no canto e fiquei de birra...

Eu sinto muita vergonha quando lembro desses momentos que eu agi dessa maneira, me deixando levar por emoções, que nem são minhas, nem era eu, era apenas minha fobia gritando, uma parte de mim que estragou... Mas que bom que eu posso olhar para traz e aprender e não fazer isso
Tem coisas que rolam mesmo, que acontecem do modo que você não quer, e que se transformam em raiva... Mas o que adianta esbravejar? Não ajuda

 A pior parte, nos dois dias depois, quando eu percebi o que fiz, eu queria pedir desculpas a ela, mesmo sentindo uma injustiça da parte dela, (cacete, eu era praticamente a única que te ouvia falar), o que eu fiz foi errado, magoar pessoas não é legal, ela não mereceu, não dessa forma, foi talvez o pior jeito de me expressar... Mas eu não fiz... Puro orgulho
Essa coisa de orgulho eu aprendi a engolir na marra, se errou, pede desculpas, seja aberto, fala caralho, fingir que não aconteceu ou culpar outros não apaga o erro, se viu o que fez, vai lá e pede desculpa, se redimir enquanto ainda é tempo, porque depois que passar a cagada fica selada... Pedir desculpas não consertas as coisas, mas cara... Isso é mais pra tu, do que para a situação, porque você aprende assim, a vergonha de limpar a merda com a consciência ajuda a não comer a mesma coisa, grava na sua mente, e você aprende!
...


Espero que essa historia clareiem alguma coisa em suas cabeças
A gente erra, aprende, e repassa o aprendizado

:)



* Eu mantive aquele post original, só para vocês sentirem a raiva daquele dia, e o quão bobo isso soa
Até eu defendo ela lendo aquilo


**** Isso é sobre posts PESSOAIS daquela época (posts sobre mim, minha vida e magoas) 

**** Postagens de opinião, exposição e coisas que eu traduzia é um outra historia! (eu sei separar as coisas kids, minha vida da vida de estranhos, desde aquela época, não foi emoção que me moveu a fazer aquilo, foi curiosidade ou pela verdade... ou por pedidos...), esse post aqui nem cita sobre isso (bem, agora está), mas são coisas que não tem nada haver

6 comentários:

  1. Parece que estou passando a mesma coisa que tu passou, Cecy...
    Antigamente eu reclamava que era anti-social (mas não sou realmente, é a timidez extrema que tinha e as vezes uns 50% dela volta para assombrar) e culpava todo mundo, em vez de pelo menos tentar o que foi pedido.
    Não sei se tu entendeu, mas continuando uahsaushasa
    Hoje em dia me arrependo de não ter feito nada durante anos, agora estou no prejuízo para aprender tudo aos 16 anos. n_n

    (tipo se não entendeu meu pai tem um comércio, e só agr quero ajudar a atender pq vi que coisas como a minha liberdade estão indo água baixo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 16 anos ainda é novinha, ainda da tempo, duro é ter que aprender a deixar de ser mongolona depois da adolescência, então fica tranquila, vai com calma, e fica longe de pessoas ruins :3

      Excluir
    2. obrigada pelo conselho, Cecy :3

      Excluir
  2. Acho que quase todo mundo passou por isso (ou seria todo mundo), eu lembro que eu tinha uma amiga que depois de um tempo passou a se descobrir e eu não entendia aquilo, fui ensinada desde cedo por gente tóxica que toda mulher que se sente bem no próprio corpo ou é feliz consigo mesma e seus relacionamentos é automaticamente puta, eu me deixei levar por rumores de alguns colegas e essas coisas que me ensinaram e dai eu passei a tratar ela mal meeesmo ao inves de procurar entender. Mas eu so tinha 13 anos, ZERO apoio da familia e ainda me ensinavam essas coisas (tipo quando ensinam pra meninA que sx é imoral, nojento, errado etc e mesmo se fizer depois de casar é puta e pro meninO o completo oposto), a parte menos pior é que eu nao tinha contato com rede social naquela época, do contrario tava tudo la. Eu entendo perfeitamente ela nao querer mais me ver nem pintada de ouro 😂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tinha idade já para entender as coisas, eu to bem mais errado...
      13 é novinha, é a era mcmelody que a gente fica gritando com as coisas que esculta por ai hehehe

      Excluir
  3. Depois de um tempo percebemos que nossas atitudes foram infantis, é normal,amadurecemos e vemos as coisas a partir de um outro ângulo.
    Isso já aconteceu comigo, mas era aula normal,só de lembrar já sinto vergonha alheia.

    ResponderExcluir

✵ Sou a favor da liberdade de expressão então se expresse como você quiser ✵

❤ Você pode discordar de mim, pode defender sua ideia, mesmo sendo contraria a minha, mas entenda que é meu blog, e eu vou defender minha ideia até o fim. Eu apenas vou recuar caso tenha percebido algum erro ou equivoco meu. Então essa é sua chance, seja claro e aberto. Todos são bem vindo... Menos pessoas sem emocional para lidar com opiniões diferentes e descem a xingamentos e ameaças ❤

☞ Mas evite ser desnecessariamente rude, pois eu respondo os comentários com o mesmo peso da sua, respeito é sempre bom, você pode discordar de mim, eu não sou dona da razão, mas você também não é. Lembre-se, o blog é meu ☜

♛ Evite por spans, se for para vir comentar que seja porque você tem interesse na postagem e não por auto-divulgação ♛

( ͡° ͜ʖ ͡°) Comentários sexualmente explícitos e vulgares são excluídos ʕ・ิɷ・ิʔ

✎ Existe uma opção de receber respostas pelo e-mail evitando ficar visitando meu blog para ver se obteve resposta (e evitar gerar números falsos), o nome é “notifique-me”, as respostas irão para o seu e-mail (para desabilitar ficar recebendo respostas, a opção está no e-mail)

⚛ Isso é um blog de opinião pessoal. Não é "site de noticia", não é propriedade de ong ou empresa comercial, logo não precisa ser imparcial ou seguir alguma regra de alguma empresa ou pessoa privada alheira. Eu sou apenas uma pessoa aleatória, sem importância social, que escreve nas horas vagas ⚛

"EU DISCORDO DO QUE VOCÊ DIZ, MAS DEFENDEREI ATÉ A MORTE O SEU DIREITO DE DIZÊ-LO" - Voltaire

Mais regras aqui

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...